Nosso propósito é
transformar vidas
pelo conhecimento

6 atitudes que prejudicam as crianças

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Você já parou para pensar em como alguns comportamentos que prejudicam as crianças? Elas copiam absolutamente tudo o que pais, responsáveis ou adultos fazem. Elas são muito vulneráveis pois tendem a acreditar em tudo o que é dito e com isso ficam expostas a todo o tipo de influência e ação.

O ambiente do lar influencia de forma impactante sobre a saúde mental e o desenvolvimento dos pequeninos. A dinâmica existente no relacionamento entre os pais desempenha um papel crucial no bem-estar dos filhos, no desempenho acadêmico e em seus futuros relacionamentos.

Pensando na importância deste tema separamos algumas dicas que podem e devem ser compartilhadas, pois o presente das crianças refletirá em seu futuro.

ATENÇÃO A ESSAS 6 ATITUDES PREJUDICIAIS

Praticar o mau hábito de fumar na presença da criança é muito prejudicial à saúde, pois o fumante passivo é exposto a aproximadamente 30% do cigarro indiretamente. Então, em algum momento da vida os filhos imitarão o mesmo vício ou comportamento.

Caso os pais ou responsáveis tenham algum vício, devem lutar contra ele. Demonstrar as crianças os malefícios do mesmo e sua luta pela liberdade será um dos maiores exemplos de prevenção.

Os dispositivos eletrônicos são ótimas ferramentas quando utilizados de forma adequada. Permitir que as crianças passem o dia inteiro frente ao computador e de mecanismos similares é uma atitude irresponsável e omissa. Lembre-se: isto não é educação, é omissão!

Alguns pais pensam que as crianças não entendem suas conversas. As crianças maiores de 3 anos entendem tudo, porém, muitas vezes, não compreendem e isto causa confusão em suas mentes. Cuidado com o que é falado na presença dos menores, instrua-os quanto ao cuidado com o próprio corpo e ensine que ninguém pode tocar em suas partes íntimas.

Pais inquietos, crianças inquietas. Isso, na maioria dos casos, reflete o comportamento de pais que são muitos agitados. Atenção ao seu comportamento e ao de seus filhos, pois crianças têm dificuldade em expressar certos sentimentos e emoções e a inquietação pode ser uma reação de que algo está errado.

Os filhos criados em ambientes emocionalmente frágeis tendem a perpetuar esse comportamento. Este ciclo precisa ser quebrado para que a atual geração de crianças e a futura geração adulta tenham vidas felizes e relacionamentos positivos. Família é projeto de Deus.

Cuidar de uma criança é uma grande responsabilidade. E a autoestima dos pequenos é fundamental para uma vida adulta saudável e de relacionamentos construtivos. Pais e família devem esforçar-se ao máximo para que isso aconteça desde a mais tenra idade. Não é fácil, porém ao promover esse cuidado é fortalecida a personalidade da criança fazendo com que a caminhada dela se torne mais fácil. Isso servirá de alicerce para o seu futuro.

Segundo matéria da Agência Brasil, mais de 70% da violência sexual contra crianças ocorre dentro de casa. Fique atento aos cuidados com os pequeninos, eles não têm noção do que é o abuso sexual. Cerque-os de amor, ensine-os a conhecer o próprio corpo para que saibam se proteger e identificar quando algo errado estiver acontecendo. Eles precisam ser encorajados a buscar ajuda sempre que se sentirem “desconfortáveis”.

Enquanto cristãos e membros do corpo de Cristo sabemos da importância da família e do cuidado com as crianças, pois Jesus afirmou que “delas é o Reino dos Céus”. E sempre que souber de um caso de violência ou maus tratos denuncie no Disque 100.

Texto baseado em matéria da Agência Brasil e na obra Autoestima na Infância, da Dra. Marisa Lobo.

Escrito por:

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Compartilhe esse post com seus amigos

Copyright © 2020 Central Gospel Editora. Todos os direitos reservados